Trabalhos em eventos

2019

Resumo: El intenso crecimiento de la cantidad de carreras de grado en Psicología en Brasil, aunque tenga facilitado el acceso, provoca aprehensión por la fuerte presencia del sector privado, históricamente reconocido por su baja calidad de enseñanza. El objetivo del presente estudio fue analizar la evolución del número de carreras, inscripciones y concluyentes en Psicología desde 2001 hasta 2017 en Brasil, bajo la óptica de las políticas públicas de educación superior. Se trata de un estudio descriptivo y cuantitativo, producido con base en sinopsis estadísticas del Censo de la Educación Superior brasileño. Se observó un aumento expresivo en el número de carreras, matrículas y concluyentes. El crecimiento fue mayor en el sector privado que en el sector público para las tres variables observadas. Los resultados señalizan la mercantilización de la enseñanza superior, aunque la cantidad de carreras y inscripciones en instituciones públicas tengan más que doblado en el período. Una vez que la literatura ha apuntado a la precariedad de la formación del Psicólogo en cursos privados, se cree fundamental la formulación de políticas públicas para el aumento de la calidad de la formación.

2019

Resumo: Os recentes processos de globalização têm desencadeado intensas transformações nos sistemas de educação superior nacionais. Uma delas é o uso de rankings, geralmente priorizando produção científica e reputação acadêmica, como ferramentas de avaliação e gestão institucionais. O presente texto objetiva analisar as métricas de qualidade do ensino destes rankings, dimensão tradicionalmente colocada em segundo plano. Trata-se de estudo documental e descritivo. Foram acessados os documentos que descrevem as metodologias das edições mais recentes dos rankings Times Higher Education, Academic Ranking of World Universities e Ranking Universitário Folha 2018. Indicadores de qualidade do ensino foram analisados qualitativamente, identificando como foram obtidos e sua adequação para mensurar esse constructo. Paralelamente, observou-se, em aspecto quantitativo, o peso dos indicadores de qualidade do ensino em relação à pontuação global. Os resultados evidenciam que, a despeito de alguns avanços metodológicos, ainda predominam indicadores vinculados à produção científica e reputação. Sugere-se, portanto, o desenvolvimento de indicadores e instrumentos de mensuração da qualidade do ensino com estudos científicos de validade, bem como sua aplicação na avaliação das instituições de ensino superior.determinadas páginas, inclua esses detalhes e a data de publicação para facilitar a identificação e a busca do seu material.

(In)disponibilidade de informações pedagógicas de cursos de Psicologia da Bahia no site das instituições de ensino superior: um estudo sobre accountability

2019

Resumo: A Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (Lei nº 9.394/96) prevê que as IES publicizem uma série de informações de caráter pedagógico como matriz curricular, planos de curso, entre outros. O presente artigo objetivou analisar a disponibilidade dessas informações sobre cursos de graduação em Psicologia aos públicos de interesse na educação superior, no estado da Bahia, à luz dos conceitos de accountability e transparência. Trata-se de estudo exploratório, de caráter documental. Foram recuperados no sistema e-MEC os registros dos cursos, tendo como critério de inclusão os cursos em situação ativa, já iniciados e em modalidade de bacharelado. Calcularam-se as estatísticas descritivas (frequências relativas) referentes às taxas de disponibilidade das informações pesquisadas nos sites das Instituições de Ensino Superior. As informações foram analisadas quanto à categoria administrativa e organização acadêmica das IES. Os resultados apontam que informações relevantes estão sendo omitidas dos estudantes do curso, dos estudantes em potencial que farão a escolha pela instituição de ensino superior e da sociedade em geral, que deveria poder acompanhar e fiscalizar a formação do psicólogo. Indica-se medidas de criação de uma cultura de disponibilização de informações, independentemente de solicitações, bem como uma melhor fiscalização.

Perfil dos estudantes de Psicologia em 2017: o que mudou na última década?

2019

Gabriela Andrade da Silva e Caio Rudá

Resumo: A democratização do ensino superior no Brasil tem sido uma das marcas da evolução do sistema educacional nos últimos 15 anos, efetivada por políticas de expansão de vagas e financiamento estudantil. Neste contexto, cresceu também o número de estudantes e cursos de Psicologia, hoje um dos que apresentam maior número de matrículas no país. O objetivo deste estudo foi descrever o perfil de graduandos em Psicologia, com foco em indicadores de democratização do acesso e permanência. Para isso, foram analisados microdados do Censo da Educação Superior de 2017, que incluíram 332.273 alunos. Predominaram estudantes de instituições privadas (90,8%), turno noturno (59,8%), egressos de escolas públicas (65,1%), sexo feminino (79,5%) e raça/cor autodeclarada branca (57,0%) ou parda (31,3%). Ingresso por reserva de vagas beneficiou 2,3% dos estudantes: 78,1% deles em cotas para egressos do ensino público, 48,2% étnicas, 36,7% por renda familiar. Quase metade (47,0%) fez financiamento estudantil e destes, 52,4% pelo Fies. Financiamentos não reembolsáveis, como o Prouni (17,6%), foram menos frequentes. Programas de apoio social objetivando a permanência beneficiaram somente 3,5% dos estudantes. Embora o número de estudantes de Psicologia tenha triplicado em relação a dados de 2006, os perfis se assemelharam quanto à proporção de estudantes em universidades privadas, egressos ensino médio público, distribuição de sexo e raça/cor. Portanto, houve clara expansão das vagas no curso de Psicologia, mas há dúvidas sobre o quanto progredimos em relação à democratização.

Associação entre desempenho no ENADE de cursos de Psicologia brasileiros e demanda nos processos seletivos

2019

Gabriela Andrade da Silva, Caio Rudá e Victória Martins

Resumo: Ultimamente qualidade tem sido um dos temas mais discutidos no âmbito da educação superior, compreendendo um conceito multidimensional. No Brasil, o Estado tem sido o principal agente para sua garantia, a partir de um complexo sistema de avaliação implementado em 2004, pela Lei nº 10.861, constituído por avaliação das instituições, dos cursos e do desempenho dos estudantes, este último a partir do Enade. O presente trabalho objetivou investigar a correlação entre a qualidade de cursos de Psicologia, avaliada pelo Enade 2015, e a relação candidato-vaga (RCV) em 2010, quando a maior parte dos participantes do Enade ingressou. A RCV foi calculada a partir dos dados do Censo da Educação Superior de 2010 e as notas brutas do Enade 2015 foram obtidas por meio de consulta a dados do INEP. A amostra foi composta por 412 cursos, sendo 70 públicos e 342 privados. Cursos públicos tiveram maior RCV e maiores notas no Enade que cursos de instituições privadas. Encontrou-se correlação de Pearson significativa moderada entre a RCV de 2010 e a nota bruta no Enade nos cursos públicos (r=0,500, p<0,001), mas não nos privados (r=-0,050, p=0,354). Entende-se que devido à alta concorrência, as instituições públicas selecionam estudantes com maior capital cultural, que reflete no desempenho do Enade. Instituições privadas, por sua vez, não tiveram o desempenho no Enade relacionado com a demanda pelo curso, o que indica a influência de outros fatores como determinantes da RCV e desempenho.

Formação de profissionais de saúde para o enfrentamento do uso abusivo de álcool e outras drogas: análise de projetos pedagógicos de cursos de graduação da Bahia

2019

Amora Rios, Gabriela Andrade da Silva e Caio Rudá

Resumo: Introdução: No Brasil, a Política de Atenção ao Cuidado Integral ao Usuário de Álcool e outras Drogas estabelece a importância do cuidado integral na Atenção Básica à Saúde a partir de redes assistenciais e estratégias que funcionem como dispositivos frente aos problemas decorrentes do uso de álcool e outras drogas. O processo de formação profissional acadêmica é potencialmente capaz de delinear profissionais com perfil habilitado e competências que respondam às demandas instituídas pelas políticas públicas relacionadas ao cuidado integral ao usuário de álcool e outras drogas. No entanto, a produção do cuidado nesses contextos ainda se distancia do ideal preconizado por essas políticas. Objetivo: analisar ementas de componentes curriculares (CCs) de Projetos Pedagógicos de Cursos (PPCs) de graduação em Enfermagem, Medicina, Psicologia e Serviço Social da Bahia em relação à abordagem de conteúdos relacionados a álcool e outras drogas. Método: Realizou-se pesquisa exploratória, baseada em análise documental de PPCs de cursos de graduação em Enfermagem, Medicina, Psicologia e Serviço Social em situação ativa do estado da Bahia, localizados pelo sistema e-MEC. Foram identificados nos PPCs os CCs que abordaram conteúdos referentes a álcool e outras drogas em suas ementas ou bibliografias. Resultados: A consulta ao e-MEC localizou 238 cursos de graduação que atendiam aos critérios de inclusão, dos quais foi possível acessar 29 PPCs (12,1%), sendo 15 de Instituições de Ensino Superior privadas e 14 públicas. Destes, nove (31% dos PPCs examinados) continham conteúdos relacionados a álcool e outras drogas, sendo dois de Enfermagem, quatro de Medicina, dois de Psicologia e um de Serviço Social. Cada curso apresentou apenas um CC com essa temática, todos obrigatórios, com exceção de um CC optativo. Apenas um curso apresentou um CC integralmente voltado a esse conteúdo, enquanto os demais o inseriram como um dos conteúdos e/ou bibliografias de CCs relacionados a saúde mental (7 cursos) ou psicofarmacologia (1 curso). Desvelou-se, portanto, uma fragilidade na formação dos profissionais de saúde relacionada ao enfrentamento do uso abusivo de álcool e outras drogas, uma vez que menos de um terço dos PPCs de cursos de graduação das áreas analisadas abordam essa temática. Mesmo nos cursos que prevêem esse conteúdo nos PPCs, a abordagem é tangencial, restrita e superficial. Nesse contexto, profissionais de saúde emergem da academia com nível baixo de conhecimentos relacionados ao uso abusivo de álcool e outras drogas e, portanto, despreparados para proporcionar cuidados à pessoa usuária de drogas e seus familiares, gerando desarticulação das redes de cuidado e inefetividade em serviços do Sistema Único de Saúde. Considera-se fundamental que os processos formativos propiciem reflexão e sensibilização sobre tais aspectos em nível de graduação, de forma transdisciplinar, bem como que sejam ofertados cursos de educação permanente para a capacitação e atualização de profissionais já graduados. Conclusão: a estrutura curricular de cursos de graduação em saúde no estado da Bahia apresenta lacuna em relação ao enfrentamento do uso abusivo de álcool e outras drogas, formando profissionais despreparados para implantar as políticas públicas e proporcionar cuidados em saúde a essas pessoas e seus familiares.